Complexo "Serviços & Utilidades"

Segunda, 08 Setembro 2014 13:18

Prudência ao volante - mais de 20 animais são atropelados por semana na BR-262

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)
Equipe do ITTI percorre o trecho semanalmente (Foto: Divulgação) Equipe do ITTI percorre o trecho semanalmente (Foto: Divulgação)

Em apenas sete dias, 24 animais silvestres foram atropelados na BR-262/MS, entre os municípios de Anastácio e Corumbá, trecho de pouco mais de 280 quilômetros. Os dados foram levantados pelo Programa de Monitoramento de Atropelamento de Fauna realizado pela UFPR (Universidade Federal do Paraná), por meio do ITTI (Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura), que faz parte da Gestão Ambiental da rodovia.

A equipe percorre o trecho catalogando, recolhendo dados e retirando os animais da pista uma vez por semana com o objetivo de mapear as áreas com maior incidência de acidentes e propor soluções para a redução do número de atropelamentos. Entre as espécies registradas estão tamanduás-bandeira, tamanduás-mirim, tatus e capivaras.

No fim do mês de agosto, a quantidade de atropelamentos se manteve. Entre os dias 13 e 19 de agosto foram registrados 22 animais mortos na BR-262/MS, enquanto na semana seguinte foram 24 atropelamentos.

A continuidade do monitoramento visa avaliar se os controladores eletrônicos de velocidade instalados ao longo da rodovia, em pontos críticos de atropelamentos, têm reduzido o número de colisões com animais silvestres.

Trabalho

O ITTI realiza o monitoramento desde 2011. No primeiro ano, o programa catalogou 610 animais atropelados entre os dois municípios. Cerca de 70% deles eram mamíferos, 23% répteis e 7% aves.

Em 2012, o Instituto realizou uma pesquisa de opinião com 101 motoristas na BR-262/MS, no quilômetro 659, localidade conhecida como Buraco das Piranhas. Os resultados confirmam a alta incidência de atropelamentos, quando a maioria dos motoristas (98,01%) reconheceu que o atropelamento de fauna é um dos principais problemas da rodovia.

Baseada nesses dados, a UFPR/ITTI fez a Proposta de Dispositivos de Proteção à Fauna, que inclui em seu programa a implantação de radares nos trechos onde ocorrem mais atropelamentos, além da colocação de telas e do corte da vegetação mais densa que prejudica a visibilidade do motorista. Até o momento 20 radares já foram instalados.

ITTI

O ITTI (Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura) da UFPR (Universidade Federal do Paraná) atua na elaboração, execução e supervisão de programas e estudos destinados à Gestão Ambiental de obras, especialmente na área de transportes, tais como as rodovias, ferrovias e portos. Com uma equipe técnica multidisciplinar formada por professores, pesquisadores, estudantes e profissionais especializados, os projetos da UFPR/ITTI também contemplam aspectos relacionados à gestão territorial, questões socioambientais e quanto ao uso de recursos naturais.

Fonte: O Pantaneiro

Ler 2748 vezes